Qual a história de São João da Cruz?

1

A história de São João da Cruz foi de muita garra, tudo porque desde da sua infância muito humilde, ele se mostrou um jovem destemido e batalhador nos seus ideais. Chegando a Ordem Carmelita aos 21 anos, subindo em poucos anos ao cargo de reitor e sendo capaz de fazer muitas obras nas entidades religiosas. 

No entanto foi uma vida muito breve, falecendo precocemente com apenas 49 anos, carregando desprezo de muitos que se compadeceram e entenderam as grandes obras de São João da Cruz, assim anos após sua morte começaram a venerá-lo e aclamá-lo como o padroeiro dos poetas da Espanha.

Conteúdo

Quem foi São João da Cruz?

São João da Cruz foi um menino que ainda na sua infância ficou órfão de pai,  tinha como nome de batismo Juan de Yepes e descendia de uma família rica e tradicional da cidade de Toledo por parte de pai, no entanto a parte da sua mãe era constituída de uma família simples, quando comparada com a do pai. 

Quem foi São João da Cruz?
Quais suas ações durante a vida. Fonte/Reprodução: wikipedia.

Por causa do casamento, a família do pai do menino Juan de Yepes, o São João da Cruz, resolveu deserdá-lo assim deixando desamparado quando o seu pai morreu, fazendo com sua mãe, Catarina Alvarez, tivesse que ir trabalhar e se mudar para outra cidade com seus irmãos.

O chamado para vida religiosa

O chamado de São João da Cruz ocorreu quando o mesmo tinha por volta de 21 anos, no ano de 1563, quando ele entrou na ordem Carmelita. Ele tinha o hábito de visitar os doentes e enfermos nos hospitais; possuía virtude e muito talento, e por esse motivo foi destinado a ir ao colégio de Santo André que era próximo a uma faculdade no qual, no futuro, estudaria Artes e Teologia. 

Mas, ainda no colégio ele foi nomeado prefeito dos estudantes, por ser muito bem estimado e possuir um bom aproveitamento nos estudos, por esse motivo um ano após a sua chegada foi ordenado sacerdote.

Reitor da Ordem Carmelita

Essa posição de reitor só lhe foi dada porque São João da Cruz, ficou encarregado de formar novos noviços e também porque ele se colocou à frente para reformar vários conventos, que eram vistos como uma atividade muito difícil. 

Tudo porque era mais fácil fundar um novo convento do que reformá-lo. Essa era uma atividade tão pouco explorada e até mesmo muito “condenável”, que o mesmo foi preso num convento que se opunha a essa reforma, por nove meses.

Mesmo fazendo serviço pouco utilizado, ele foi visto como uma pessoa que abraçou a cruz dos sofrimentos e obstáculos com prazer, sendo essas características apenas dos santos, no entanto essa foi a personalidade de São João da Cruz descrita no final da sua vida.

As obras de São João da Cruz

São João da Cruz foi um escritor de sucesso, tendo duas obras que falam muito sobre o caminho da alma, sendo algo claro e certeiro, que foram o “cântico espiritual” e a “chama viva de amor”. O escritor também deixou outras duas obras inacabadas, “subida ao monte Carmelo” e a “noite escura da alma”.

Os 3 pedidos a Deus

Os relatos diziam que São João da Cruz sempre fazia três pedidos a Deus, primeiro, que ele tivesse forças para sofrer e trabalhar muito, conseguinte, que ele não saísse deste mundo num cargo superior perante a comunidade e por fim, que ele tivesse a graça de ir aos céus humilde e desprezado por todos, como foi o caso de Jesus, tudo porque ele detinha em seu coração essa vontade de se igualar a Jesus.

E chegando o seu fim, os seus três pedidos foram atendidos, pois nos seus últimos anos de vida, o mesmo sofreu grandes calúnias e incompreensões, que resultaram na destituição de todos os seus cargos, assim passando seus últimos meses de vida num abandono e solidão total.

Oração a São João da Cruz

Nessa oração a São João da Cruz podemos ver as qualidades que ele detinha e que por esse motivo era visto que o mesmo conseguiria de forma mais fácil interceder pelos pedidos de vãs humanos.

“Glorioso São João da Cruz, que desde vossa infância fostes terno amante de Maria Santíssima e da cruz de seu Santíssimo Filho, merecendo por este amor ser protetor singular das almas aflitas e desconsoladas: Vos suplico, Pai meu, interponha vossos rogos para com Mãe e Filho a fim de que me concedam viva fé, firme esperança, fervente caridade e terníssimo amor à cruz de meu Senhor, em cujo exercício viva e] more amparado sempre de sua graça, e também consiga, se me convém, o que peço nesta novena. Amém.”

Um homem que deixou um legado na escrita, com uma importância enorme, de valores humanístico e teológico incríveis. Sendo canonizado em 1726, pela sua relevância e incansável participação nas obras e mais precisamente como reformador da Ordem Carmelita Descalça. Sua festa litúrgica é no mesmo dia do seu falecimento, dia 14 de dezembro.

1 Comment
  1. […] na bela estátua do Menino Jesus que se encontra em muitos lares e igrejas católicas. Mas a história do Menino Jesus de Praga é muito mais do que a história de uma […]

Leave A Reply

Your email address will not be published.