Viva em Segurança: Os Ensinos em Josué 20

0

Começamos o nosso estudo sobre Josué 20, onde Deus instrui Josué a designar cidades de refúgio para os filhos de Israel. Esta passagem bíblica nos ensina que, se alguém matar alguém por engano, deverá fugir para as cidades de refúgio para se proteger do vingador do sangue. Essas cidades foram designadas para proteger os filhos de Israel, bem como os estrangeiros que viviam entre eles. A passagem nos ensina que Deus nos dá a chance de buscar refúgio quando nos sentimos ameaçados, e também nos ensina a responsabilidade de nos protegermos uns aos outros, pois somos responsáveis por nossas ações. É importante lembrar que Deus nos ama e quer nos ver viver em segurança e protegidos.

Salmo Josue 20 1

Conteúdo

Tabela sobre Josué 20

Personagens Principais Lições a Aprender
Josué Devemos confiar na direção de Deus e seguir as instruções que Ele nos dá.
Moisés Devemos honrar as autoridades e obedecer às leis estabelecidas por elas.
Homicida Devemos aceitar as consequências de nossas ações e buscar refúgio quando necessário.
Vingador do Sangue Devemos perdoar aqueles que nos ofenderam, pois a vingança não é a melhor solução.
Congregação Devemos buscar a justiça e a sabedoria da comunidade para resolver problemas.

Josué 20

1 Falou mais o SENHOR a Josué, dizendo:

2 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Apartai para vós as cidades de refúgio, de
que vos falei pelo ministério de Moisés,

3 Para que fuja para ali o homicida, que matar alguma pessoa por engano, e não
com intenção; para que vos sirvam de refúgio contra o vingador do sangue.

4 E fugindo para alguma daquelas cidades, pôr-se-á à porta dela e exporá a sua
causa aos ouvidos dos anciãos da tal cidade; então o tomarão consigo na cidade;
e lhe darão lugar, para que habite com eles.

5 E se o vingador do sangue o seguir, não entregarão na sua mão o homicida,
porquanto não feriu a seu próximo com intenção, e não o odiou antes.

6 E habitará na mesma cidade, até que compareça em juízo perante a congregação,
até que morra o sumo sacerdote que houver naqueles dias; então o homicida
voltará, e virá à sua cidade e à sua casa, à cidade de onde fugiu.

7 Então designaram a Quedes na Galiléia, na montanha de Naftali, e a Siquém, na
montanha de Efraim, e a Quiriate-Arba (esta é Hebrom), na montanha de Judá.

8 E, além do Jordão, na direção de Jericó para o oriente, designaram a Bezer, no
deserto, na campina da tribo de Rúben, e a Ramote, em Gileade da tribo de Gade,
e a Golã, em Basã da tribo de Manassés.

9 Estas são as cidades que foram designadas para todos os filhos de Israel, e
para o estrangeiro que habitasse entre eles, para que se acolhesse a elas todo
aquele que por engano matasse alguma pessoa, para que não morresse às mãos do
vingador do sangue, até se apresentar diante da congregação.

Mensagem crista Josue 20 1

Introdução

A passagem bíblica que estamos analisando diz respeito ao tema das cidades de refúgio, que são destinadas ao homicida involuntário. A partir daí, queremos refletir sobre a importância deste mecanismo para a justiça e a misericórdia na sociedade.

1 Falou mais o SENHOR a Josué, dizendo:

Como um professor de teologia, a primeira coisa que queremos destacar é que a instrução para estabelecer cidades de refúgio é uma ordem de Deus. É uma forma de Deus nos ensinar a importância da justiça e da misericórdia em meio às nossas relações.

2 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Apartai para vós as cidades de refúgio, de que vos falei pelo ministério de Moisés,

Aqui, Deus instrui o povo de Israel a estabelecer as cidades de refúgio. É importante ressaltar que esta ordem foi dada através do ministério de Moisés. Isso mostra que a misericórdia e a justiça devem ser ensinadas e praticadas por todos nós.

3 Para que fuja para ali o homicida, que matar alguma pessoa por engano, e não com intenção; para que vos sirvam de refúgio contra o vingador do sangue.

O objetivo destas cidades de refúgio era servir como um refúgio para aqueles que mataram alguém por engano. É importante notar que este mecanismo foi criado para proteger aqueles que não tinham a intenção de matar alguém. Isso mostra que Deus nos ensina a diferenciar entre aqueles que cometem homicídios intencionalmente e aqueles que o fazem por engano.

4 E fugindo para alguma daquelas cidades, pôr-se-á à porta dela e exporá a sua causa aos ouvidos dos anciãos da tal cidade; então o tomarão consigo na cidade; e lhe darão lugar, para que habite com eles.

Aqui, Deus nos ensina que devemos tratar aqueles que buscam refúgio com misericórdia. Ele ordena que os anciãos da cidade ouçam sua causa e o aceitem como morador da cidade. Isso mostra que Deus nos ensina a sermos compassivos com aqueles que estão em necessidade.

5 E se o vingador do sangue o seguir, não entregarão na sua mão o homicida, porquanto não feriu a seu próximo com intenção, e não o odiou antes.

Aqui, Deus nos ensina que a justiça e a misericórdia devem andar de mãos dadas. Ele nos ensina que não devemos entregar o homicida involuntário à mão do vingador do sangue. Isso mostra que Deus nos ensina a sermos justos e misericordiosos ao mesmo tempo.

6 E habitará na mesma cidade, até que compareça em juízo perante a congregação, até que morra o sumo sacerdote que houver naqueles dias; então o homicida voltará, e virá à sua cidade e à sua casa, à cidade de onde fugiu.

Aqui, Deus nos ensina que devemos ser pacientes e esperar a sentença da congregação antes de condenar o homicida involuntário. Isso mostra que Deus nos ensina a sermos justos ao julgar os outros.

7 Então designaram a Quedes na Galiléia, na montanha de Naftali, e a Siquém, na montanha de Efraim, e a Quiriate-Arba (esta é Hebrom), na montanha de Judá.

Aqui, Deus nos ensina que as cidades de refúgio devem estar em todas as partes. Isso mostra que Deus nos ensina a abranger todos os povos com a justiça e a misericórdia.

8 E, além do Jordão, na direção de Jericó para o oriente, designaram a Bezer, no deserto, na campina da tribo de Rúben, e a Ramote, em Gileade da tribo de Gade, e a Golã, em Basã da tribo de Manassés.

Aqui, Deus nos ensina que as cidades de refúgio devem ser estabelecidas em todas as partes. Isso mostra que Deus nos ensina a abranger todos os povos com a justiça e a misericórdia.

9 Estas são as cidades que foram designadas para todos os filhos de Israel, e para o estrangeiro que habitasse entre eles, para que se acolhesse a elas todo aquele que por engano matasse alguma pessoa, para que não morresse às mãos do vingador do sangue, até se ap

Josué 20 – Refúgios para o Homicida

De acordo com Josué 20, o Senhor instruiu a Josué para que falasse aos filhos de Israel a respeito de cidades de refúgio a serem designadas, para que o homicida, que matar alguma pessoa por engano, tenha um lugar para se abrigar. Nesse sentido, o Senhor designou nove cidades: Quedes na Galiléia, Siquém na montanha de Efraim, Quiriate-Arba, Bezer no deserto, Ramote em Gileade, Golã em Basã, Jericó para o oriente, Bezer no deserto, Ramote em Gileade e Golã em Basã da tribo de Manassés. Essas cidades foram designadas para todos os filhos de Israel, e para o estrangeiro que habitasse entre eles, para que se acolhessem a elas todo aquele que por engano matasse alguma pessoa, para que não morresse às mãos do vingador do sangue, até se apresentar diante da congregação.

FAQ – Josué 20

O que diz Josué 20?

Josué 20 fala sobre o Senhor instruindo Josué para que falasse aos filhos de Israel sobre cidades de refúgio a serem designadas, para que o homicida, que matar alguma pessoa por engano, tenha um lugar para se abrigar.

Quais cidades foram designadas?

Nove cidades foram designadas para abrigar os homicidas por engano: Quedes na Galiléia, Siquém na montanha de Efraim, Quiriate-Arba, Bezer no deserto, Ramote em Gileade, Golã em Basã, Jericó para o oriente, Bezer no deserto, Ramote em Gileade e Golã em Basã da tribo de Manassés.

Quem pode usar essas cidades?

Essas cidades foram designadas para todos os filhos de Israel, e para o estrangeiro que habitasse entre eles.

Por que essas cidades foram designadas?

Essas cidades foram designadas para que se acolhessem a elas todo aquele que por engano matasse alguma pessoa, para que não morresse às mãos do vingador do sangue, até se apresentar diante da congregação.

Leave A Reply

Your email address will not be published.