Quem foi Santo Antônio de Pádua?

1

Para nós brasileiros, Santo Antônio, porém encontramos também como Santo Antônio de Pádua ou Santo Antônio de Lisboa foi um santo canonizado após um ano de seu falecimento. 

Desde muito cedo já havia ingressado em seus estudos em mosteiros pautados na fé católica. Ele era considerado um frei erudito, conhecedor profundo das sagradas escrituras e um exímio orador. Santo Antônio foi professor e propagador da palavra, escritor e realizou milagres durante sua jornada terrena. 

Conteúdo

A história de Santo Antônio de Pádua

A história de Santo Antônio de Pádua apresenta algumas lacunas e sua origem e nascimento: batizado com o nome de Fernando de Bulhões, a data de nascimento, por cálculos atribuídos ao seu falecimento, seria 15 de agosto de 1195.

Seus pais seriam Maria Teresa Taveira e Martinho Bulhões, Frei Antônio também teve uma irmã que foi freira chamada Maria filha de Martinho, porque havia uma época em que as pessoas eram identificadas pelo primeiro nome e não se falava do sobrenome e sim referenciava a algo próximo à pessoa como os pais, profissão ou cidade de origem.

A história de Santo Antônio de Pádua
Origem de Santo Antônio de Pádua. Fonte/Reprodução: original.

Sua cidade de origem é Lisboa e local de nascimento, próximo da Sé ou Igreja Santa Maior, onde futuramente se ergueu uma igreja em sua homenagem com o nome de Igreja de Santo Antônio.

Como Santo Antônio de Pádua estudou religião?

Na época da adolescência ele já tinha ingressado no Mosteiro de São Vicente de Fora, onde iniciou seus estudos religiosos, fazendo parte da Ordem de Santo Agostinho.

Depois de um período de estudos nesse mosteiro, Fernando estudou no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, onde não aprofundou seus estudos apenas em religião, mas também em filosofia. Por volta de seus 25 anos de idade, devido ao ingresso cedo nos mosteiros, foi nomeado sacerdote. 

Quando decidiu entrar para estudar no Mosteiro de Santa Cruz, pôde ter mais interação com os frades franciscanos, onde conheceu e se interessou por sua visão e missão religiosa.

Sua decisão em fazer parte da ordem dos franciscanos foi determinada por um episódio que ocorreu no Mosteiro: chegaram cinco corpos de frades franciscanos torturados e mortos, enquanto participavam de uma missão em Marrocos, esse episódio deixa o até então Fernando de Bulhões, sensibilizado pela devoção e entrega dos membros dessa ordem e ele passa a fazer parte da ordem dos franciscanos.

Ao adentrar a essa ordem, se tornou Frei Antônio foi viver no Eremitério de Santo Antão dos Olivais de Coimbra. Agora como como frei da nova filiação, solicitou designação para também realizar missões em Marrocos, porém por volta de um ano, adoece e retorna para Portugal.

Em sua viagem de retorno, devido a uma tempestade, fez o navio alterar sua rota e atracaram em Sicília, Frei Antônio permaneceu, por um período e num dado momento desse período aconteceu na cidade de Assis, Itália, aconteceu um encontro da Ordem dos Franciscanos, e o Frei Antônio com demais colegas da ordem, logicamente, participaram.

Foi a oportunidade de conhecer São Francisco, que nessa época, também estava em sua jornada religiosa.

O dom da pregação de Santo Antônio de Pádua

Depois do encontro da Ordem em Sicília, inicia uma jornada de ensinamentos e pregação por vários lugares, Santo Antônio de Pádua possuía o dom da oratória e isso contribuiu para seu propósito de ensinar e evangelizar a doutrina.

Em Forli, 1222, fez um sermão bem eloquente, no qual mostrou ser um grande conhecedor da bíblia. Dois anos depois, lecionou Teologia, na Universidade de Bolonha. Também ensinou em Toulouse, Montpellier e Limoges, França.

Retornou em 1227 para Itália nomeado Ministro Provençal nas cidades de Milão e Pádua, ele permaneceu nesses cargos até 1230, quando pediu dispensa para se dedicar exclusivamente à pregação. Esse período de pregação ocorreu em um mosteiro fundado em Pádua.

No período de de 5 de fevereiro a 23 de março de 1231, ele usa de sua oratória e profundo conhecimento para pregar os seus Sermões da Quaresma, que completam o total de 53, escritos em Pádua.

Os milagres de Santo Antônio de Pádua

Vinte e um são os milagres conhecidos de Santo Antônio de Pádua, quando pesquisamos a história desses milagres, elas se apresentam descritas de maneiras diferentes, porém a essência dos episódios dos milagres permanece. Vamos tomar nota de alguns.

Milagre do Sermão aos peixes

Numa Homilia em Romini, alguns hereges não quiseram ouvir sua pregação, mesmo assim poucos ficaram e o acompanharam. Dizem que o santo não ficou satisfeito com a quantidade de pessoas as quais conseguiu levar a palavra. Diante dessa situação foi para a praia e pregou aos peixes, os peixes colocaram suas cabeças para fora da água e acompanharam seu sermão até que terminasse.

Milagre da Bilocação

Certo domingo de Páscoa enquanto pregava na Catedral, recordou ter uma obrigação no convento dos franciscanos, de entoar a Aleluia na missa que estava acontecendo lá.

Então por um momento no púlpito da Catedral permaneceu em silêncio e pareceu tomar uma respiração, nesse período curto da respiração foi visto também no convento entoando Aleluia no Coro da missa que ocorria no convento.

Milagre do Pé decepado

Um rapaz confessou ao Frei que num momento de raiva, deu um pontapé em sua mãe. Santo Antônio ao explicar a ele o quão grande era o erro cometido, exemplificou que deveria decepar seu pé. As palavras do santo foram tão significativas para o rapaz que o mesmo o fez. 

Sua mãe ao socorrer seu filho, apelou a Santo Antônio que o ajudasse e assim ele e o rapaz colocaram o pé no lugar, o pé foi restaurado, apenas com uma cicatriz onde foi realizado o corte para registro do milagre.

Milagre com o Menino Jesus

Santo Antônio ficou hospedado com uma família em Pádua. Em uma das noites o dono da casa presenciou uma luz muito forte saindo do quarto do Frei e foi ver do que se tratava. O homem presenciou o santo com um menino no colo, no mesmo instante percebeu que se era o Menino Jesus que parecia consolar Santo Antônio. 

Porém esse milagre só foi relatado depois da morte do frei, porque na época do acontecido, ele pediu ao homem que não revelasse o fato a ninguém.

Milagre do prato envenenado

Uns hereges convidaram o santo para um jantar, pois desejavam averiguar sua santidade, para isso envenenaram o alimento que serviram ao Frei. Ele simplesmente abençoou a refeição com o sinal da cruz e comeu não sofrendo nenhum mal.

Quando é comemorado o Dia de Santo Antônio de Pádua?

O dia de Santo Antônio é celebrado em 13 de junho, para o Brasil, mês das festividades juninas, pois essa é a sua data de passagem para o plano maior, no ano de 1231.

Conhecemos Santo Antônio por ser o “santo casamenteiro” e as mulheres que desejam casar-se e são da religião católica costumam pedir a intervenção, por causa dele para tal  acontecimento. Mas sabem como ele se tornou o “santo casamenteiro”?

Frei Antônio costumava ajudar as moças que não tinham condições de montar seu enxoval para o casamento, por meio de doações. Por esse motivo era considerado protetor das noivas.

Santo Antônio de Pádua foi um dedicado e aplicado Frei no seu chamado para levar a palavra aos lugares por onde viveu, como dito anteriormente, a oratória era seu maior instrumento em transmitir os ensinamentos da bíblia, sua presença e milagres tinham tanto poder que um ano após sua morte, foi canonizado pelo Papa Gregório IX, em 31 de maio 1232.

1 Comment
  1. […] e recebeu uma boa educação. E se tornou padre no ano 378 d.C., e mais tarde se tornou bispo. O santo ficou conhecido por sua piedade e por seu trabalho na divulgação do […]

Leave A Reply

Your email address will not be published.